TODO DIA ...É 1 TEXTO NOVO!!!

31 de jul de 2011

papo de comida!!

Slow Dabf...
"miojo...como tinha me esquecido que isso era tão bom?? apavorei um agora kkk e pra desçer um nescau...sei que pareçe incombinavel , mas vamos combinar...eu sou incobinavel tipo massa de chocolate ou macarão doçe!! é a vida ..."


Marcus Cardoso "Estilo feijão gelado com maionese...... putquep.........


Jacqueline Polowei "serio,miojo e nescau é demais!hahaha sobrevivo bem de boa comendo isso diretao haha


Ricardo S Pires "Tipo CusCus branco com KetChup e Mostarda... :)


Mariana Silva "Tipo arroz feijão e bife com danone de morango! rs


Lucas Lemes de Souza "isso é tipo pão com feijão


Slow Dabf ta ficando bom


Slow Dabf "essa é antiga foi criada em bangú ...sirí com toddy....sempre que algo nun ta combinando as pessoas lah falam assim ....elos perdidos da terra calorenta...ah eu sou de caxias ...


Eduardo Arcanjo "Já comi tb tiuuuu!


Eduardo Arcanjo "muuuuuitooo bom!


Gabi Pires "kkkkkkkkkkkkkkkkk


Bia Pimenta "cruzes! rs.


Sylvio Neto Louco Meu....


Cacau Amaral Tipo banana com pasta de dente


Marcus Vinicius "Miojo com mostarda é bom, tambem.


Flávia Nigrinha "Adoro macarråo com molho de chocolate!!!!


Flávia Nigrinha "Leite com nescau num desce nem a pau ECA!


Marcus Vinicius "Macarrão com molho de chocolate? Vou tentar...

29 de jul de 2011

decadente!!

AS VEZES FICO ME OLHANDO E CONSIGO SENTIR A DECADENCIA E CURTO ISSO ,SABE É ESTRANHO MAS É O MÁXIMO SE SENTIR ESTRAGADO PELA CURTIÇÃO...MESMO NÃO ESTANDO...GOSTO DE ESTAR ( E NÃO "SER")DECADENTE..ME SENTIR ASSIM, VAI ENTENDER..AQUELES ARTISTAS FRANCESES DA DÉCADA DE 60...

ai até o andar fica vagaroso , dá vontade de passar mal , de ficar amarelo o ter um ataque de tosse...como nada disso aconteçe vou caminhando e a cada passo ficando mais novo!!

28 de jul de 2011

morreu??

Ha muerto Rotilla? No…no murió, lo mataron

Publicado el 21 julio, 2011 por Ana María


Todavía recuerdo, con cierto pesar, cuando hace dos años desplegué todas mis facultades periodísticas-o al menos con las que contaba en aquel entonces-para hacer un trabajo sobre el Festival de Rotilla que desde 1998 se venía celebrando, primero en Jibacoa y más tarde en la playa que bautiza hoy con su nombre al evento.

Entrevisté a todos los organizadores, pertenecientes al grupo Matraka, a muchos de los que participan anualmente, vi videos y fotos y carteles y propagandas educativo-ambientales que repartían allí, leí lo que se había escrito sobre el Festival y hasta fui, para ver con mis ojos lo que allí pasaba, para luego saber hasta qué punto era cierto o no lo que la prensa extranjera exponía y lo que la nuestra callaba.

Y qué pasó? Lo de siempre…el trabajo jamás se publicó. Y ahora, luego de dos años, el pesar es mayor…porque ahora el festival fue “secuestrado” si pudiera ser este el mejor término a usar.El Festival de Rotilla como espacio alternativo-aunque el término es cuestionable-funcionaba para los jóvenes que hasta allá iban, tres días seguidos en agosto, para disfrutar gratuitamente de la música electrónica de Cuba y de la que traían algunos exponentes del género en otros países, de las agrupaciones invitadas, del intercambio social entre las diferentes tribus urbanas porque allí lo mismo se veía a un fricky, que a un repa, que a un miki, que a un emo, que a un “desclasificado” y sobre todo de la libertad de hacer lo que se quisiera, entre amigos, entre socios, entre jóvenes.

El año pasado el festival contó con la asistencia de 20 000 personas, cifra récord, haciendo del festival el evento de mayor duración y de mayor asistencia juvenil dentro la isla.

Por qué eso molestó tanto que de pronto el Ministerio de Cultura y el Instituto de la Música quisieron adueñarse del evento y serán sus promotores este año? O en realidad lo que molestó fue la organización autónoma, independiente y des-institucionalizada que tenía el Festival por parte de los muchachos que lo hacían posible? O, como se argumentó en no pocas ocasiones, lo que molestó fue la extrema libertad y el peligro de que allí los jóvenes bebieran, se drogaran, se bañaran desnudos y sobrepasaran los límites de la “sana diversión”?

Yo pregunto…Acaso era el Festival Rotilla peligroso? No puede serlo igualmente un concierto masivo de reguetón, estatalmente organizado, en el que los cantantes incitan en medio del espectáculo a que las muchachas se desvistan mientras bailan? No puede serlo también un bailable popular en una plaza municipal con vistas al aniversario del Triunfo de la Revolución cuando, con tragos de más, pueden desencadenarse revueltas cuchillo en mano para “zanjar honores”? Y la ética institucional, dónde quedó?

El peligro y el miedo a él está dentro de nosotros mismos, y es por eso que lo vemos en todo, a diario. El peligro de Rotilla, seguramente, está únicamente en la pupila de quien lo vió. Y aunque puede tener argumentos sólidos que lo expliquen-no convincentes- lo mal hecho, hecho está.

Ahora, como está respaldado institucionalmente, no dejará de hablarse del Festival en los medios de prensa, aunque ya no sea el mismo, aunque todo tenga horarios y se promueva “la robotización” de la gente.

Los jóvenes de aquí, una vez más, se sentirán defraudados porque no es una muerte más, sino un asesinato más.

26 de jul de 2011

gente de talento

"Tereza Onã e a poetiza Dayse Marcello"

"Grupo de Danças e Músicas Populares Dandalua"

" Malucarte"

“Cochicho na Coxia”.

25 de jul de 2011

METHOD MAN E REDMAN EM SAMPA...EU FUI E VC??



Foi uma noite de gala para mim e talvez para muitos que estiveram no frio de Sp , ontem...

Encontrei muitos e muitos amigos de Sampa e poucos cariocas (valeu dj Babão)...

Vou falar um pouco aqui de algumas atrações e muito de outras...

Cheguei no Show do Thaide com a banda Funk como le gusta e só peguei o final da apresentação mas do pouco que vi ´posso dizer que fica fácil entender por que o cara está tantos anos no topo...

Depois foi o show do Naughty By Nature de Jersey que foi muito bom com muita energia dos caras que estão 20 anos ou mais na cena e que souberam fazer hits que estão eternamente em qualquer lista dos mais mais de qualquer pessoa que mínimamente respeite a cultura hiphop!


Depois foi a vez dos racionais que foi para mim e talvez para muitos , uma decepção...

Não entendi quase nada das rimas pois o som estava muito ruim (mesmo sabendo que antes deles o som estava perfeito)mas além disso achei muito fraco , sem empolgação, como se os caras estivessem com o freio de mão puxado , muitos erros , muita apatia e quase dormi!!!

Legal foi ver a Adriana Lessa se acabando de dançar soul com o mano Nelson Triunfo...
Legal foi ver a estrutura do evento e os graffitis irados bem lá no alto , respeito ,como deve ser!!

Logo a Terra quase parou em Freeze, pois entrou no palco 2 monstros ...

Simplesmente foi um dos maiores show de rap que este país já vi e acho que eles ensinaram para muitos como se faz um show de rap , com respeito e energia...

O Red man pareçe um lunático e seu timbre no palco é igual ao que vc escuta no cd.

Mandou suas rimas antigas e novas e se comunicou bem com a massa além de dar um Mosh boladão nos braços da galera!

O Method man mandou rimas antigas e novas e muitas coisas do Wu tang de uma forma única e ainda fez homenagem ao Sabota!!
Sem contar na "andada" que o Tical fez se apoiando nas mãos das pessoas...

Além da dança dos caras e da "teatrilidade" dos caras!!
S.E.N.S.A.C.I.O.N.A.L.

24 de jul de 2011

ADEUS!!!

Londres, 23 julho de 2011

- A cantora britânica Amy Winehouse foi encontrada morta neste sábado em seu apartamento de Londres, informou a agência de notícias "Press Association".

A cantora de 27 anos, ganhadora de sete prêmios Grammy, teve em sua curta carreira constantes problemas com as drogas e o álcool e tinha passado por numerosas clínicas de reabilitação. Por isso, acredita-se que a cantora tenha morrido de overdose.

No mês passado, foi cancelada a sua turnê europeia, que incluía um show em Bilbao, na Espanha.

Segundo a agência britânica "PA", o serviço de ambulâncias de Londres chegou ao seu apartamento neste sábado, no norte de Londres, mas nada pôde ser feito para salvar sua vida.

De acordo com a emissora britânica "BBC", o pai da cantora, que está em Nova York, voltará imediatamente para Londres.

A última vez que a cantora britânica tinha sido vista em público foi nesta última quarta-feira pela noite, quando foi ao show de sua afilhada Dionne Bromfield no teatro "The Roundhouse", de Camden Town.

Após a divulgação da notícia, várias figuras do mundo da música expressaram sua surpresa e seu pesar pela morte da cantora.

A DJ Fearne Cotton declarou neste sábado através de sua conta do Twitter que ainda não estava acreditando na morte de Amy Winehouse e chamou a cantora de "menina especial", enquanto a cantora Myleene Klass afirmou que a artista tinha um "talento excepcional e era uma menina realmente agradável".

"Acabo de escutar a triste notícia da morte de Amy Winehouse. Com apenas 27 anos, é uma terrível perda de grande talento. Envio minhas mais sinceras condolências à família", afirmou o apresentador Phillip Schofield.

23 de jul de 2011

COISAS DE CACAU!!

Mái uêi – Anos 1980


Mái uêi – Anos 1980
Postado por Cacau Amaral em http://lurdinha.org/site/?p=1252 em julho, 2011






1980

Dia 25 de agosto foi a inauguração do Viaduto. A festa do dia do soldado, que tradicionalmente era no Centro de Caxias, este ano foi em frente minha casa. Assistimos de cima do telhado. Só quando o presidente Figueiredo passou em desfile, descemos. Um camelô ficava me oferecendo biscoito globo e minha mãe mandou pegar. O cara cobrou o preço e minha mãe disse que não pagaria, pois ele me deu sabendo que não tinha dinheiro, já que era uma criança de 8 anos. À noite teve show do Dicró no portão do ferro velho.



.

.

1981

Já contei essa história um milhão de vezes, mas não custa repetir. Todo ano minha mãe me levava ao cinema para assistir o lançamento do filme dos Trapalhões. Esse ano teve dois filmes. Aquilo era uma coisa extraordinária; mas, para minha surpresa, o filme era um documentário. Fiquei puto da vida e um bom tempo sem querer saber de documentário.



.

.
1982

Michael Jackson, definitivamente, mudou o comportamento da galera do Centenário. É chato ter que admitir, mas poucos não tinham uma sapatilha japonesa e um casaco vermelho. Quem arrumasse uma luva branca virava herói, pois o par era disputado à tapa. Os papelões forrados nas esquinas passaram a fazer parte do cotidiano do bairro. Ninguém fazia ideia do que era a cultura hip hop. Imitávamos o que víamos na TV, sem politizar.



.

.

1983

O récorde mundial do Ricardo Prado acabou levando minha mãe a me matricular na natação. Eu achei uma maravilha, pois no clube tinha quadra de futebol com taco e o cacete. Nunca mais iria arrancar o tampão do dedo bicando paralelepípedo. O maior problema era acordar no inverno e já estar dentro da piscina às 7h20min.



.
.
1984

Com a abertura da novela Partido Alto a brincadeira foi ficando mais complexa. Todo dia às 8 da noite era hora de imitar os dançarinos da TV e no dia seguinte ir se exibir para a garotada. Na Escola Ana Laura aconteceu um concurso de break. Tinha um moleque que dançava horrores no alto, mas nunca ia pro chão. Os jurados acharam que deveríamos dividir o prêmio, uma fanta laranja e um pacote de biscoito Drink.



.
.
1985

Ganhei meu primeiro disco de rock – Ultrage a Rigor. Também foi o ano que comecei a pichar. Acho que estava na sétima série e vi a galera pichando no banheiro de piloto. Primeiro me interessei artisticamente, depois percebi como era interessante as pessoas ficarem perguntando quem havia pichado o lugar tal. Do banheiro passamos à quadra de esportes, depois o pátio e por último a sala da coordenadora.



.
.

1986

Fui para o Senai. Ganhei um ingresso para assistir o show do Plebe Rude no Circo Voador e lá vi um cartaz do Comício de Tudo. Uma série de shows punks que aconteciam às quintas à noite e domingos à tarde. Nunca mais ouvi a rádio Transamérica. A partir daquela noite de quinta com os shows de Garotos Podres, Ratos de Porão, Desordeiros e Distúrbio Social; passei a ouvir só a rádio Fluminense



.

.
1987

Havia uma guerra declarada entre o rock e o funk. No baile os caras me chamavam de roqueiro e no rock de funkista. Naquela época não existia o termo funkeiro. Era funkista mesmo. Ir pro baile domingo era uma prática quase que escondida. A Fluminense não tocava ou tocava pouco hip hop, mas tocava reggae e um monte de música de preto. Os skatistas também ouviam bastante Rum DMC, Public Enemy. O filme Faça a Coisa Certa também entrou na ciranda pra ajudar a confundir.



.
.
1988

Estava ficando famoso na pichação. Essa galera era bem mais democrática. Rolava de tudo: funk, punk, junk, yunk… No mesmo ano do filme Colors, caminhava pelo Centro de Caxias quando passei no sebo do Pará e ouvi aquele mesmo som do Ice T, só que cantado em português. Era o disco “Hip hop, cultura de rua”. Perguntei ao Pará que disco era aquele e ele não sabia responder. Levei a bolacha pra casa e a partir daquele dia percebi que também poderia cantar.



.
.

1989

Parei de pichar. O terror da maioridade se aproximava e estava vendo vários amigos não conseguirem parar e acabarem na cadeia. Aproveitei as festas juninas para dar um tempo. Dois meses depois voltaria, mas o afastamento da galera me ajudou a não voltar mais. Já estava quase de maior.




22 de jul de 2011

ESPECIAL DIRETORES: Ingmar Bergman



O cineasta nasceu 14 de julho de 1918 em Upsala, localidade que fica 70 quilômetros ao norte de Estocolmo. Seu pai foi um pastor protestante do qual recebeu um estrita educação, que marcou sua vida e obra, caracterizada - salvo exceções - pela inclusão de conotações metafísicas e um universo de problemas humanos fundamentais, como a falta de comunicação do casal, a solidão, Deus e a morte.

Bergman cursou o ensino básico em Estocolmo, onde também se formou em Arte e Literatura.

Apaixonado pelo teatro, principalmente o clássico, já na universidade dirigiu uma companhia de estudantes.

Após o fim dos estudos, concentrou sua atividade na cena, como autor e diretor.Após ser ajudante de direção no Real Teatro da Ópera de Estocolmo, esteve à frente do Teatro Municipal de Helsinborg (1944-1946), de Goteborg (1946-1949), de Malmoe (1954-1963) e do Real Teatro Dramático de Estocolmo (1963-1966 e 1985-1995).

Em 1976, se mudou para Munique, na Alemanha, onde também desenvolveu seu talento criativo, e em 1985 voltou à Suécia como diretor do Real Teatro Dramático de Estocolmo.

Nesta etapa, fez montagens como "A Menina Julie" e "O sonho", ambos de Strindberg; "Hamlet", de Shakespeare; "Longa jornada noite adentro", de Eugene O'Neill; "Casa de Bonecas" e "Peer Gynt", ambos de Ibsen; e "Conto de Inverno", de Shakespeare.

No final de 1995, deixou o Teatro Dramático para ficar responsável pelos espaços cênicos da televisão pública sueca "STV", onde foram transmitidas obras do diretor.

No cinema, seu começo foi com roteiros que escreveu para projetos próprios e alheios, casos dos diretores Gustaf Molander, Alf Kjellin, Lars Erik Kjellgren e Alf Sjorberg.

Bergman começava a ser conhecido internacionalmente como um autor complexo, atormentado e obscuro.

Seus roteiros posteriores foram levados ao cinema por outros produtores. Foi o caso do dinamarquês Bille August, de seu filho Daniel Bergman e de sua atriz favorita e ex-companheira Liv Ullman.Sua última obra para televisão foi como roteirista de "Bergmanova Sonata", em 2005.

Em 2004, a televisão sueca "SVT" transmitiu um documentário de 180 minutos, a cargo da jornalista Marie Nyreroed, sobre a vida e obra de Bergman na ilha de Faro.

Em 18 de julho, Bergman fez um último relato público, de uma hora e meia, sobre sua vida pessoal e artística em um programa ao vivo da "Rádio Nacional da Suécia".

Entre outras homenagens, Bergman possui os Prêmios Erasmus (1965), Internacional de Teatro Luigi Pirandello (1971) e Goethe (1976), a Medalha de Ouro da Academia Sueca (1977), o título de comendador da Legião de Honra francesa (1985) e a Palma de Ouro por sua carreira do Festival de Cannes (1997).

É autor de suas memórias, intituladas "Lanterna Mágica" (1987), e dos livros "Imagens" (1990) e "Conversas privadas" (1996), entre outros.

Considerava a si mesmo como um homem de teatro, "é toda minha vida", enquanto o cinema era para o diretor "um trauma e uma paixão", segundo ele.

Com oito filhos, Bergman foi casado cinco vezes. A primeira com Elsie Fischer, com quem teve uma filha. Depois com Ellen Lundstrom, que lhe deu quatro filhos (entre eles uma atriz, Anna).

Sua terceira e quarta esposas foram, respectivamente, Gun Hagberg, com quem teve um filho, e a pianista finlandesa Kabi Laretei, mãe de seu filho Daniel, também diretor de cinema. Sua quinta esposa, Ingrid von Rosen, morreu em 1995.

À margem destes casamentos, Ingmar Bergman teve relacionamentos com as atrizes Harriet Andersson e Liv Ullman, com quem teve sua filha Linn, jornalista.

Lá em baixo do post tem o link para baixar muitos filmes dele, mole mole fácil fácil...


FILMOGRAFIA

1945 - Crise
1946 - Chove Sobre Nosso Amor
1947 - Um Barco para a Índia
1948 - Porto
1948 - Prisão
1949 - Sede de Paixões
1949 - Rumo à Alegria
1951 - Juventude
1952 - Quando as Mulheres Esperam
1952 - Mônica e o Desejo
1953 - Noite de Circo
1954 - Uma Lição de Amor
1955 - Sonhos de Mulheres
1955 - Sorrisos de Uma Noite de Amor
1956 - O Sétimo Selo
1957 - Morangos Silvestres
1958 - No Limiar da Vida
1958 - O Rosto
1959 - A Fonte da Donzela
1960 - O Olho do Diabo
1961 - Através de um Espelho
1962 - Luz de Inverno
1963 - O Silêncio
1964 - Para Não Falar de Todas Essas Mulheres
1966 - Persona Quando Duas Mulheres Pecam
1968 - A Hora do Lobo
1968 - Vergonha
1969 - O Rito
1969 - Paixão de Ana
1972 - Gritos e Sussurros
1973 - Cenas de um Casamento
1974 - A Flauta Mágica
1975 - Face a Face
1977 - O Ovo da Serpente
1978 - Sonata de Outono
1980 - Da Vida das Marionetes
1983 - Fanny e Alexander
1984 - Depois do Ensaio
1984 - "O Rosto de Karin" (Talvez consiga esse.)
1986 - O Sacrifício
1996 - Encontros Privados
1999 - Reflections on Life Death and Love
2000 - Bildmakarna
2003 - Saraband


ESTES AI DE CIMA ESTÃO PARA BAIXAR , SE VC FOR NO LINK LÁ EMBAIXO...
E ESSES AI DE BAIXO NÃO FORAM ENCONTRADOS PARA BAIXAR...MAS ELES EXISTEM PARA BAIXAR É SÓ PROCURAR MAIS UM POUCO KKKKK!!



FILMES NÃO ACHADOS:

1947 - "Música na Noite"
1950 - "Isto Não Aconteceria Aqui"
1957 - O sr. Sleeman está chegando (TV)
1958 - O Veneziano (TV)
1958 - Rabinos (TV)
1960 - A Tempestade (TV)
1963 - "Uma Comédia do Sonho" (TV)
1965 - "Don Juan"
1968 - Daniel (episódio do longa "Stimulantia")
1969 - "FArö - Documentário 1969" (TV)
1971 - "A Hora do Amor"
1974 - O Misantropo (TV)
1979 - Farö Documentário - 1979 (TV)
1983 - "Hustruskolan" (TV)
1986 - "A Dupla Feliz" (TV)
1992 - "O marquês de Sade" (TV)
1993 - "Backanterna" (TV)
1995 - "O Último Soluço" (TV)
1997 - "Na Presença de um Palhaço" (TV)

INFELIZMENTE NAO CONSEGUIMOS TODOS, PORÉM É O MAIOR ACERVO EM RMVB LEGENDADO E SINCRONIZADO DA INTERNET, DE NADA ADIANTA COLOCAR UM VIDEO E UM LEGENDA SEM SINCRONIA PARA VOCÊS (*), ABRAÇOS E ESPERO QUE TENHAM GOSTADO.

http://www.educacaoefilmes.org/2011/02/especial-diretores-ingmar-bergman.html
bergman.html

Ideia de hoje

A ideia é essa: estudar, ler, entender, descobrir, me surpreender, lacrimejar, sorrir, me frustrar, sonhar, realizar...adormecer e ficar dormente enquanto o sol não vem ficar de boné ...
por enquanto é só

21 de jul de 2011

Benin é aqui!!!












As Artes de Benin pertinho de nós!!!!!




O público carioca( eu já fui hoje!) vai poder vivenciar nessa mostra cerca de 300 obras entre tapeçarias, fotografias, pinturas, esculturas, vestimentas e muitas outras manifestações estéticas

A Secretaria Municipal de Cultura, em parceria com o Museu Afro Brasil (de São Paulo), traz ao Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica(perto da praça tiradentes) a exposição África Ancestral e Contemporânea As Artes de Benin para mostrar a arte ancestral, tradicional, e também a contemporânea produzida por um dos berços da nação brasileira, o Benin país localizado na região ocidental da África.

Com a curadoria de Emanoel Araujo (artista plástico e diretor-curador do Museu Afro Brasil), a exposição mostra a potencialidade de um dos povos mais criativos daquele continente, retomando a vida e a arte de Benin, mostrando seus artistas mais representativos da atualidade, mas sem esquecer a tradição, o cotidiano da vida e da cultura daquele pedaço da África também, um dos berços fundamentais de todos os brasileiros.

Benin significa uma pujante nação de criadores de uma estética com profundos laços ancestrais e com jovens artistas contemporâneos, grandes criadores como pintores, escultores, instaladores. A Mostra conta com nove artistas de Benin, internacionalmente reconhecidos:

Dominique Zinkpe


Aston


Tchif


Quenum


Tokoudagba


Eloi Lokossou

Kifouli Dossou


Edwige Aplogan.



O público carioca vai poder vivenciar nessa mostra cerca de 300 obras entre os apliqué (tapeçarias feitas com recorte de tecidos que mostram os símbolos reais do Benin desde o século XV ao século XIX), fotografias, pinturas, esculturas, uma grande instalação de Aston (que representa com mais de 300 peças a grande embarcação que une o torrão africano levado por barcos carregados de gentes para o lado de cá do Atlântico), grandes máscaras para os deuses do Vodou, vestimentas e muitas outras manifestações estéticas, que por certo fará dessa exposição um alentado conhecimento dos nossos irmãos do lado de lá do Atlântico.

Exposição África Ancestral e Contemporânea As Artes de Benin permanece no
Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica do Rio de Janeiro (Rua Luis de Camões, 68. Tel: 2242-1012) até o dia 04 de setembro. Terça a sexta-feira, das 11h às 18h, e sábados, domingos e feriados, das 11h às 17h. A entrada é franca e tem acesso para deficiente físico (elevador).

20 de jul de 2011

36...

36 Chambers

O Clan surgiu em 199o com Ol' Dirty Bastard, RZA e GZA. Mais tarde outros seis membros foram adicionados mudando a cara do rap, virou referência, virou uma febre, quase uma religião, com seguidores por todo mundo.

O nome "Wu-Tang" é derivado do nome da montanha Wu Dang (Wudang Shan) no noroeste da província de Hubei, no centro da China com uma longa história associada à cultura chinesa, especialmente taoismo, artes marciais e medicina.

RZA e Ol' Dirty Bastard aprovaram o nome do grupo após assistirem o filme Shaolin and Wu-Tang.

A MUVUCA:


A&R

Formado por: Armel, Will the Beast, MC Mikki, Stabbing Steve e Sharecka.
Discos: Non-Exclusive, Vol. 1 (2005), Non-Exclusive, Vol. 2 (2005) and A&R presents Hoodtrepeneurs, Vol. 1 (2005).

A.I.G.

Allah.Is.God. é formado por: Allah Wise and Darkim Be Allah. O album Retaliation Strike nunca foi lançado mas estava pronto!
O primeiro cd foi: Fame Labs Presents de 2005.

Almighty

Grupo formado por: Bronze Nazareth, M-Eighty, Sone One, C Rayz Walz, 5 Star, Killah Priest. O "Original S.I.N -Strength In Numbers é um dos seus trabalhos.

American Cream Team

Oli "Power" Grant e Raekwon fundaram o time que é: Chip Banks , Polite, Lord Superb, Twiz, and Rhyme Recka.

Ancient Coins

Membros :Armel, D-Micah, Marcel, Spanky Splash, Devil Destroya and Holy Smokes. O ep Who Got Change?
saiu na net...

Tha Beggas

Fundado por: Father Lord (Wu Chi) e a companhia de Buda Love, Magic Sword, Ohh Aah Swordsman, Samo Heung, Scorpion, Bolo Gah, Long Fist, Dragon Fly, Long Axe, Short Axe and Jim Kelly. Alguns deles gravaram pela Hidden Aspects Music.Por exemplo: Bolos Kitchen "Blood Sweat and Years" Black Lotus "Lotus Notes", Dragon Fly "9000 Miles", Begga Ooh (Ooh Aah) "Renewed History", Yukon Black (Short Axe) "Addiction Services", Long Axe "Lost In Translation".

Black Knights

Este grupo é da California e se chamava Black Nights e se juntous a outro grupo californiano chamado North Star e gravaram com os 2 nomes.
Formado por Crisis(The Sharp Shoota), Doc Doom, The Rugged Monk and Holocaust.Seu disco de estreia foi Every Night Is A Black Knight e foi distribuido pela chambermusik .com

Black Lotus

Formado por:King Cee aka Bolo Gah, Dragonfly and Long Axe.Fizeram o album Lotus Notes (1997–1999) em2005.

Black Rose Kartel

Formado por: DADDY ROSE, DON BARACUS (aka Mr. Sunshine), NICKY BONDS (aka St. Nicolas), SALAH'UDIN (aka Salah'udin Rose, aka Deac. O'Malley), ARISTOTLE (aka Casino Red) se chamava no inicio :The ROSE FAMILY, POPULATION CLICK (P.C.), entraram no grupo depois: K.G.L. (King Goldie Locks), 88 Keyz (aka ELoheim). Salah'udin e Daddy Rose são memberos do "The Maccabees." O album Rose Kartel Order foi feito em 2000, pela Stargate Worldwide Entertainment.

Brooklyn Zu

Formado por: 12 O'Clock, Buddha Monk, Merdoc, Raison the Zoo Keeper, and Shorty Shitstain e fundado por ODB. Seu disco "Chamber #9, Verse 32" foi feito em 2008.
Raison Allah formou a ZuFilms Inc. pra contar a historia de Ol’ Dirty Bastard para o mundo e o documentario "Dirty: One Word Can Change the World" é fantastico.

Nome: 12 O'Clock
Nome completo: D.Turner

Nome: 4th Disciple
Nome completo: Selwyn Bogard

Nome: 60 Second Assassin
Nome completo: Frederick Cuffie Jr.

Nome: 9th Prince
Nome completo: Terrance Hamlin
Gravadora: ArmYourself Ent.

Nome: Beretta 9
Nome completo: Samuel Craig Murray

Name: Blue Raspberry
Nome completo:

Nome: Bronze Nazareth
Nome completo:
Web: www.bronzenazareth.com

Nome: Cappadonna
Nome completo: Darry Hill
Gravadora: Code:Red

Nome: Cilvaringz
Nome completo: Tarik Azzougarh
Web: www.rpeg-ltd.com

Nome: Dreddy Kruger
Nome completo: James Dockery

Nome: Ghostface
Nome completo: Dennis Coles
Gravadora: Def Jam
Web: www.ghostface.com

Nome: GZA
Nome completo: Gary Grice

Nome: Hell Razah
Nome completo:

Nome: Inspectah Deck
Nome completo: Jason Hunter
Web: www.inspectahdeck.net

Nome: Islord
Nome completo:

Nome: Jamie Sommers
Nome completo: T. Shivers

Nome: Killa Sin
Nome completo: Jeryl Grant

Nome: Killah Priest
Nome completo: Walter Reed
Web: www.killahpriest.com

Nome: La The Darkman
Nome completo: Lason Jackson
Web: www.lathedarkman.com

Nome: Lord Superb
Nome completo:

Nome: Masta Killa
Nome completo: Jamal Turner
Web: www.mastakilla.net

Nome: Mathematics
Nome completo: R. Bean

Nome: Method Man
Nome completo: Clifford Smith
Web: www.methodman.com

Nome: Ol' Dirty Bastard
Nome completo: Russell Jones
Label: Rocafella

Nome: P.R. Terrorist (Dom Pachino)
Nome completo: Domingo J. Del Valle

Nome: Popa Wu
Nome completo:

Nome: Prodigal Sun
Nome completo: Vergil Ruff
Gravadora: Free Agency Recordings
Web: www.prodigalsunn

Nome: Raekwon
Nome completo: Corey Woods
Web: www.raekwonthechef.com

Nome: Remedy
Nome completo: Ross Filler

Nome: RZA
Nome completo: Robert Diggs

Nome: ShoGun Assasson
Nome completo: Jamol Alexander

Nome: Shyheim
Nome completo: Shyheim Franklin

Nome: Solomon Childs
Nome completo:

Nome: Streetlife
Nome completo: P.Charles

Nome: Suga Bang Bang
Nome completo:

Nome: Tekitha
Nome completo: Tekitha Washington

Nome: Timbo King
Nome completo: Timothy Drayton
Web: www.timboking.com

Nome: Trife
Nome completo:

Nome: True Master
Nome completo: Derrick Harris

Nome: U-God
Nome completo: Lamont Hawkins



Amanhã ou depois escrevo mais sobre o resto da muvuca q é gigante!!

19 de jul de 2011

MINHA VIDA!!

SEM O HIP HOP A MINHA VIDA SERIA MUITO ESTRANHA...NEM CONSIGO PENSAR...TIPO , TUDO QUE FAÇO OU PENSO ACABA TENDO ESTE PRISMA ...

ACHO QUE É UMA COISA ALÉM DA MINHA CAPACIDADE CAÓTICA DE ENTENDIMENTO!! E NEM TO FALANDO DE RAP SÓ NÃO...

HIP HOP DESDE A ATITUDE ATÉ O PENSAMENTO!!



O skate também é parte importante da minha vida!!

Ter um pai DJ me ajudou muito a gostar de vinil...

E O CINEMA TAMBÉM É OUTRA PAIXÃO...E POR FALAR NISSO TEM MATE COM ANGU NA PRAÇA E NO TEATRO EM DALLAS CITY...

18 de jul de 2011

UM DOS MAIORES DO BRASIL!!



NELBOY


[Nelboy Dastha Burtha é musico e compositor. Carrega no nome quem é, como é e de onde vem. *N - negro *El de elemento *B – Bantu (povo do qual é oriundo) *O- Original *Y –yaneka (etnia bantu) *Das que invertido equivale a Ser Afro Dinâmico *Burtha estilizado da palavra burden, referente ao seu grave vocal].

clique no link para assistir http://www.youtube.com/watch?v=kafHdsZya7s&search=nelboy

Motivado pela cadência do flow, a temática de Lil’ Kim, e a sonoridade de Scott Storch que fazem de Lighters up um hit single, o rapper Nelboy Dastha Burtha e seu Alter ego Megga Vallentinu manufacturaram um remix sui generis de Lighters up.

Apresentando diferentes texturas vocais Nelboy carimbou sua expressão esquisofrenica ao combinar a ecentricidade de um rudeboy da reggea music ao seu flow pugilista de um autentico MC.


Logo nos primeiros versos imacula as memorias de 2 Pac e Big Pun "still your lighters up to dead rap icons / we'll never have new 2 Pacs or two Pun's", desfere seu primeiros golpes com jabs contra os "pseudo thugs". " we just really have ill fake thugs with true guns / ain´t hard to feel the cronic pain from the slums", e de forma sublime questiona " why we really have to lose all days our sons / look around tell me why do you pop that gun ".

Soa o gongo e o MC pugilista vai para o corner e como se apropriando da musica, convoca Lil’ Kim para espelir seus versos originais tornando-a uma participante especial em sua própria música.

Para tornar o remix um acontecimento, Megga Vallentinu de forma sutil adicionou vocais de Nelboy como apelo reggea em algumas frases dos raps de Lil Kim e nos refrões.

No contexto lirico Lil Kim aborda o estilo de vida rustico do Brooklyn, Nelboy ampliou este contexto, para as ruas de qualquer periferia do Rio de Janeiro, Luanda (Angola) ou São Paulo.

O swing do beat original sofreu leves retoques por Nel ´´Megga Vallentinu ´´Boy para a (Masta Basta Musica /Mobotrackz).

É a segunda vez que Nelboy visita uma obra de Lil’ Kim. A primeira foi Magic Stick (2004), que teve muitas execuções radiofonicas (Transamerica), casas noturnas do Rio De Janeiro, Lisboa e Londres.

Ano passado o rapper teve ótimos retornos ao remixar as musicas "It's You" da aspirante cantora de R&B Jojo, e com o remix que fez de Lean Back de Fat Joe, que saiu na mixtape Rapevolusom Vol 1. Atualmente o rapper encontra a dar os ultimos toques da sua mixtape “Começo Pelo Fim VoI.1” .

CLIQUE AQUI E BAIXE O SOM:
http://www.buscamp3.com.br/artists_profile_homebr.asp?id=26533



Pouco antes da queda do sistema comunista imposto na União Soviética, Leste europeu e alguns países da Ásia e África, dentre os quais Angola, (que vivia em um estado de guerra civil, cenário típico da saga africana), surge em 1990 o músico e compositor Nelboy Dastha Burtha, expelindo suas opiniões e pontos de vista no estilo rapper e encabeçando o movimento Hip Hop em Angola, manifestação cultural até então pouco conhecida pelo grande público local.

No ano de 1993 Nelboy amplia sua arte para o grande publico e passa a ser conhecido nacionalmente através de seu primeiro videoclipe veiculado em Angola e em países africanos e europeus como Portugal e Rússia.

Após ter fundado em 1994 o primeiro programa de Hip Hop na Rádio Nacional, por envidar esforços em desenvolver a cena local produzindo novos artistas através da Masta Basta Casta Dp-g e spots publicitários para empresas angolanas Nelboy passou então a ser reconhecido pela imprensa angolana como o precursor da cultura Hip Hop.
No mesmo ano foi convidado a participar da campanha de reconstrução de seu país denominada “Isto é Angola”, fato que chamou atenção da rede televisiva americana C.N.N que o entrevistou.

Em 1995 abre outro programa denominado Rap Cidade, embarca para o Rio de Janeiro, em 1996 e passa a fazer contato com grupos brasileiros.

Em 1997 participou do show do rapper americano Coolio, rimando numa batalha de freestyle e vencendo os mais de 20 MCs que competiram com ele, fato que o fez ser citado no Jornal do Brasil e na revista DJ Sound da seguinte forma: “Nelboy arrepia platéia de três mil pessoas e rouba a cena de Coolio”.

Em 1998 participou do álbum do rapper MV Bill e em atividades dirigidas por T.R da Associação Atitude Consciente em parceria com o Movimento Favelania no morro Dona Marta e outros pontos do Rio de Janeiro, cantou e discursou na passeata pela consciência negra organizada pelo Movimento Negro e vereadores do P.T,

Cantou com Cláudio Zoli no projeto Jamléia, conquistou o segundo lugar no Festivalda competindo entre 1019 bandas e sendo o único representante do rap e do movimento hip hop, fato que o fez ser citado pela revista especializada Backstage.

Em 1999, palestrou na Universidade Castelo Branco com o tema África a Raiz e apresentou-se na entrega do prêmio Griot na câmara dos vereadores do Rio de Janeiro.

No ano seguinte participou no álbum da cantora Hannah Lima como rapper e compositor, e na regravação da clássica “No woman no cry” de Bob Marley com a banda LS Jack participou do programa musical O Positivo da TV Bandeirantes e em casas noturnas do Rio e de São Paulo.

Em 2001 Nelboy apresentou-se para cerca de 150 mil pessoas no Rock’n Rio e levou o seu discurso aos programas Planeta Xuxa, Adriane Galisteu e Eliane na Tv Record.
Ainda em 2001 estreou como ator de teatro na peça musical “Será que sou Bob Marley”.

O novo milênio marcou a primeira década na carreira de Nelboy, que carrega no nome quem é, como é e de onde vem. N - negro, El de elemento B – Bantu (povo do qual é oriundo) O- Original Y –yaneka (etnia bantu) o Das que invertido equivale a Ser Afro Dinâmico e o Burtha que estilizou da palavra burden, referente ao seu grave vocal, que explora de todas as formas possíveis e imaginárias em suas contagiantes apresentações ao vivo.

Atualmente está em estúdio gravando seu primeiro álbum com composições próprias, que mesmo quando são de punho abstrato repousam num discurso incisivo, questionador e que por vezes torna-se polêmico.
Seus versos refletem tudo o que atinge sem ser demagogo.
Sempre visando mudar mentalidades e entreter o interlocutor sem ser panfletário,

Nelboy coloca-se visivelmente aparte da mesmice ou do modismo, arrojando a sua arte versátil para diferentes tipos de públicos sem perder a essência que o faz ser quem é como ser humano e artista.

Esse é Nelboy Dastha Burtha.

17 de jul de 2011

os aniversários eram os piores dias!!

Juicy

Notorious B.I.G.

Grande mc Estadunidense com um pé na Jamaica , conheciso pela sua amizade no ínicio da carreira e pela sua briga com o mesmo mc chamado 2pac os 2 foram mortos na década de 90 e até hoje a polícia não sabe quem os matou!!!

Em agosto de 1995, o grupo de Wallace, Junior MAFIA ("Junior Masters At Finding Intelligent Attitudes"), composto por seus amigos de infância, lançou seu primeiro álbum intitulado Conspiracy. O grupo incluía rappers como Lil 'Kim e Lil Cease ", que passaram a ter uma carreira solo. O registro foi ouro e seus singles, "Player's Anthem" e "Get Money", ambos com Wallace, foram ouro e platina. Wallace continuou a trabalhar com artistas R&B, colaborando com grupos da Bad Boy 112 (em "Only You") e Total (em "Can't You See"), com ambas atingindo o top 20 da Billboard Hot 100.

Até o final do ano, Wallace foi o artista solo mais vendido do sexo masculino e rapper nas paradas de pop e r&b. Em Julho de 1995, ele apareceu na capa da The Source, com o título "O Rei de Nova York Domina Tudo". Na The Source Awards, ele foi nomeado Melhor Artista Novo (Individual),

Letrista do Ano, Performista ao Vivo do Ano, e seu álbum de estréia do ano. Na Billboard Awards, ele foi artista de rap do ano. Em seu ano de sucesso, Wallace se envolveu em uma rivalidade com o West Coast hip-hop de Tupac Shakur, seu ex-associado.

Em entrevista à revista Vibe, em Abril de 1995, enquanto servia o tempo em Clinton Correctional Facility, Shakur acusou Sean Combs (Diddy), e Wallace de terem conhecimento prévio de um assalto que resultou em ele ter sido baleado várias vezes e perder milhares de dólares em jóias na noite de 30 de novembro de 1994.

Apesar de Wallace e sua comitiva estarem no mesmo estúdio de gravação baseado em Manhattan, no momento da ocorrência, eles negaram a acusação.

“O fato de eu estar no estúdio na hora do incidente foi só uma coincidência. Pac não pôde dizer quem realmente fez isso com ele naquela hora. Assim, ele simplesmente jogou a culpa em mim."

Essa é a letra e o clip traduzido de Juyce que aprendi a cantar em 97...



Intro:

Yeah this album is dedicated to all the teachers that told me
I'd never amount to nothin' to all the people that lived abovethe
buildings that I was hustlin' in front of that called the policeon
me when I was just tryin' to make some money to feed mydaughters
and all the niggaz in the struggle you know what I'm sayin'?
Uh ha it's all good baby bay-bee, uh

It was all a dream
I used to read Word Up magazine
Salt'n'Pepa and Heavy D up in the limousine/

Hangin' pictures on my wall
Every Saturday Rap Attack, Mr. Magic, Marley Marl/

I let my tape rock 'til my tape popped
Smokin' weed and bamboo, sippin' on private stock/

Way back, when I had the red and black lumberjack
With the hat to match/

Remember Rappin' Duke, duh-ha, duh-ha
You never thought that hip hop would take it this far/

Now I'm in the limelight 'cause I rhyme tight/

Time to get paid, blow up like the World Trade/

Born filla, the opposite of a winner
Remember when I used to eat sardines for dinner/

Peace to Ron G, Brucey B, Kid Capri
Funkmaster Flex, Lovebug Starsky/

I'm blowin' up like you thought I would
Call the crib, same number same hood
It's all good/

Uh, and if you don't know, now you know, nigga, uh

Chorus:
You know very well who you are
Don't let em hold you down, reach for the stars
You had a go, but not that many
'cause you're the only one I'll give you good and plenty

I made the change from a common thief
To up close and personal with Robin Leach/

And I'm far from cheap, I smoke skunk with my peeps all day
Spread love, it's the Brooklyn way/

The Moet and Alize keep me pissy
Girls used to diss me
Now they write letters 'cause they miss me/

I never thought it could happen, this rappin' stuff
I was too used to packin' gats and stuff/

Now honies play me close like butter played toast
From the Mississippi down to the east coast/

Condos in Queens, indo for weeks
Sold out seats to hear Biggie Smalls speak/

Livin' life without fear
Puttin' 5 karats in my baby girl's ears/

Lunches, brunches, interviews by the pool
Considered a fool 'cause I dropped out of high school/

Stereotypes of a black male misunderstood
And it's still all good/

Uh...and if you don't know, now you know, nigga

chorus

you know very well who you are
dont let em hold you down, reach for the stars
you had a go, but not that many
'cause your the only one i'll give you good and plenty

Super Nintendo, Sega Genesis
When I was dead broke, man I couldn't picture this/

50 inch screen, money green leather sofa
Got two rides, a limousine with a chauffeur/

Phone bill about two G's flat
No need to worry, my accountant handles that//

And my whole crew is loungin'
Celebratin' every day, no more public housin'/

Thinkin' back on my one-room shack
Now my mom pimps a Ac' with minks on her back/

And she loves to show me off, of course
Smiles every time my face is up in The Source/

We used to fuss when the landlord dissed us
No heat, wonder why Christmas missed us/

Birthdays was the worst days
Now we sip champagne when we thirst-ay/

Uh, damn right I like the life I live
'Cause I went from negative to positive/

And it's all...

(It's all good)

...and if you don't know, now you know, nigga, uh

chorus
you know very well who you are
dont let em hold you down, reach for the stars
you had a go, but not that many
'cause your the only one i'll give you good and plenty

Uh, uh...and if you don't know, now you know, nigga
Uh...and if you don't know, now you know, nigga, uh
Representin' B-Town in the house, Junior Mafia, mad flavor, uh
Uh, yeah, a-ight

chorus
you know very well who you are
don't let em hold you down, reach for the stars
you had a go, but not that many
'cause your the only one i'll give you good and plenty...

UMA DAS GRANDES LETRAS DO RAP MUNDIAL!!

16 de jul de 2011

de graça!!


poesia!

Slow Dabf...

E o brilho do sol aumenta o devaneio do ácido estomacal violento...

E o trilho do trem treme com o rugido que sai do esofago para o vento...

E o sucrilho do boy desce pelo ralo aberto do esgoto do apartamento

E a fome da poesia de Solano segue atravessando aqui por dentro...

15 de jul de 2011

ENCONTREI UMA PESSOAS NA RUA !




Depois de muitos anos , hoje,andando pela rua ,encontrei uma pessoa que foi responsavel por muitas tristezas na minha vida...

Me fez ser egoista , me fez perder tempo com coisas tolas ,me fez perder empregos legais ,me fez perder muito dinheiro com besteiras ,me fez perder compromissos importantes e com sua atuação me fez magoar muitas pessoas.

Sabe oq fiz quando vi essa criatura hj?
NADA! Essa pessoa se chama SLOW...

"SOMOS RESPONSAVEIS POR TUDO QUE FAZEMOS CONOSCO"


Não temos obrigação de ser felizes nem fomos colocados no mundo para alegrar os outros.Nascemos para ser nós mesmos - a tarefa mais difícil de todas.

Nos privamos do direito à tristeza. Ao menor sinal de sua presença, nos entupimos de antidepressivos, como se momentos de introspecção fossem doença e o padrão normal fosse vivermos imersos numa comédia romântica infindável.

Pior: fosse essa capacidade a medida de nosso êxito. Mas o êxito só pode ser medido pela aptidão de abraçar nossas idiossincrasias, de lidar com o que não gostamos ou entendemos em nós - nosso maior êxito é ter coragem de assumir quem somos e deixar de imitar condutas incutidas e socialmente aceitáveis.

Homens choram, sim.
Mulheres, mesmo nos dias de hoje, podem ser meigas.

Estar sempre preparado para o ataque é tarefa de guepardos, não nossa.
Alegria incessante é função de apresentadores de TV.

Precisamos, com urgência, relaxar e aceitar que "Um dia de chuva é tão belo quanto um dia de sol/ Ambos existem; cada um como é" (Alberto Caeiro).
Só assim respiraremos tranqüilos, sem nos sentirmos fracassados, diante de uma melancolia corriqueira. Para parar de ter medo do bicho-papão que mora embaixo da cama, é preciso olhar para debaixo dela: medos só perdem a força quando são firmemente encarados.

Cerceamos a vida de maneira letal ao exigir extrair prazer de tudo o que nos cerca: a comida deve ser orgásmica; o cinema, brilhante; o amor, estelar. Incutimos até num pedaço de bolo a obrigação de nos inundar de prazer.
E essa busca demente da felicidade se torna demoníaca porque traz consigo a massacrante sensação de derrota - nada é capaz de nos suprir de alegria, por mais esforço que façamos, porque precisamos do desalento eventual para sermos completos.

Só nos contos de fadas aparecerá o herói, a mítica figura salvadora, que decretará: "Todos serão felizes para sempre", e a dor sumirá. Na vida real, somos completamente responsáveis pelo que fazemos conosco, ninguém executará a tarefa por nós.

Não conseguimos - por mais que acumulemos itens, pessoas, realizações e prêmios - sorrisos perenes e autênticos. E nos sentimos (às vezes, vagamente; outras, arrasadoramente) perdedores, fracos, largados.
E então exigimos a felicidade. Clamamos por ela. Nos entorpecemos tencionando atingir o êxtase perfeito.
Usamos tudo o que possa alterar nosso ânimo, que ofereça uma breve promessa do paraíso, dilua a angústia. Qualquer coisa que nos deixe felizes até o dia seguinte, de onde recomeçaremos o ciclo, ignorando os motivos desse vazio incômodo que clama para que vejamos a nós mesmos.

A alegria não virá dentro das sacolas de compras, no porta-luvas do carrão novo: essas coisas são ,para algumas pessoas doses diárias (e até necessárias) de anestesia que adia encararmos o fato mais banal e amedrontador da vida:
"Não existe bálsamo milagroso para nossa solidão intrínseca, e ela faz parte de nós tanto quanto a vontade de rir solarmente - ignorá-la é fechar a porta para tudo o que ela pode ensinar."

Ignorá-la é enterrar metade de você.

14 de jul de 2011

SALVAÇÃO!!

ATOMOS SE DESLOCAM NO LIMBO ONDE A LUPA NÃO ALCANÇA
NEUTRONS NEUTRALIZAM O NECTAR DO TÉDIO QUE AVANÇA
PROTONS PROGRIDEM PARA O CENTRO NERVOSO RAPIDISSIMOS
PERCORREM ESTRADAS ETEREAS NUM FLUXO INTENSO SEM DÍZIMOS...

TRECHO DO RAP Q ESTOU GRAVANDO AGORA NO ÁTOMO DO GRUPO USAL
E POR FALAR EM USAL...

Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, 1998. Expelindo como vômito, todo desrespeito, desprezo, discriminação e violência, Que foram obrigados a engolir. Átomo, Black Naddo e Nego Val, Formam o "Clã Mc’s".
Com o intuito de denunciar as mazelas que oprimiam as classes desfavorecidas, das quais faziam parte. Com letras politizadas, que abordavam temas polêmicos, de maneira extremamente contundente, que ás vezes ultrapassavam os limites da razão. Em 1999 entram para o M2HBF (Movimento Hip Hop da Baixada Fluminense), e começam a fazer algumas apresentações nas adjacências de Nova Iguaçú. Nesse mesmo ano, "Nego Val" sai do grupo. Em 2000, Lisa entra, pouco tempo depois "Black Naddo" também sai. Já em 2001 "Tina Cris" entra.
"O Clã Mc’s", faz uma série de apresentações no circuito alternativo do Rio de Janeiro, principalmente na Baixada Fluminense. No mesmo ano o grupo passa por algumas mudanças, após a conversão de "Átomo e Lisa" ao Evangelho de Jesus Cristo, O grupo muda de postura e nome, passando a incluir a sigla “US”, de Ultimato a Salvação, antes do “Clã”, que mais tarde também sairia. Com a mesma contundência, só que agora sem ultrapassar os limites da razão, equilibrado, e tomando por base a Bíblia Sagrada.
O até então “US do Clã”, começa a pregar a palavra de Deus, anunciando a volta de Jesus. Em 2003, sai o primeiro registro do grupo em CD, ao participarem da coletânea “ Som de Periferia, Volume 1 ”, lançada pelo, M2HBF. Em 2004 o grupo começa a também fazer parte do Movimento Enraizados, e a se chamar definitivamente de "Ultimato à Salvação" ( U-Sal), nesse mesmo ano chega mais uma integrante no grupo, "Fê", que sai logo em seguida, juntamente com Tina Cris.
O ano de 2005 é marcado pelo lançamento de várias coletâneas com a participação do grupo. Primeiro sai o “ Raiz do Hip Hop ”, lançado pelo Movimento Enraizados, logo depois “ DJ PJ apresenta Rap Gospel Rio Volume 1 ”, e ainda “ Som de Periferia Volume 2 ”, pelo M2HBF.
Ainda esse ano o grupo começa a se apresentar em outros estados, e em vários outros lugares do Rio de Janeiro, como no Circo Voador, Concha acústica da UERJ etc. O ano é fechado com a participação de " Lisa " no documentário “ Rap de Saia ". Em 2006, o grupo tem suas músicas registradas em mais duas coletânea: " Mix Tape Vem do Alto Volume 3 " e “ Sexto Encontrão ”, do Movimento Enraizados, esse , CD e DVD , gravados ao vivo em Morro Agudo.
Nesse mesmo ano o " U-Sal " sai em mais duas coletâneas, dessa vez representado somente pela Mc, " Lisa ", em dois projetos destinados apenas à mulheres: “ Mulheres do Hip Hop Pelo Fim da Violência contra a Mulher ”, pela organização CEMINA, e, “ Hoje eu Tive Um Sonho...Carolina de Jesus ”, pela organização Criola. Ainda em 2006 se apresenta na ALERJ (Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro), no evento de comemoração pelo dia da Bíblia. Em 2007, " Lisa " participa do show de lançamento do cd “ Mulheres do Hip Hop pelo fim da Violência Contra a Mulher ”, realizado no Circo Voador.
No início desse ano, 2009, também participa da coletânea " Mulheres Guerreiras ", CD que tras M'CS de vários estados. Para 2009 o grupo tem a previsão do lançamento de outra coletânea pelo Enraizados, intitulada: " Se é Pra Exigir, Exige Direito", e também do seu primeiro CD.

13 de jul de 2011

palavra!

Palavras "ajuntadas"

Grafite conseguiu reunir na sua órbita multi colorida uma nova tribo urbana que nos faz lembrar a época da gereção new wave...
Sua grandeza está em não tentar ser grande mas reunir no seu contexto a ousadia da pop art e a "ludicidade" do expressionismo...
Naõ querer ser o Mainstream faz com que o grafitti seja o melhor conceito de underground que tenho:"somos do bueiro mas somos classudos"
O Grafitti


A palavra grafite ou grafito vem do termo italiano graffiti, plural de graffito, utilizada desde o Império Romano para designar inscrições verbais ou não-verbais realizadas em suporte previamente não destinado para essa finalidade ou não.
Faço grafitti para viajar pelas tintas sem sair do lugar e para expor minhas visões do mundo ou pelo menos exercer este direito que julgo ser primordial!

Tribos urbanas

Expressão utilizada para fazer referência a grupos de pessoas,geralmente jovens, com hábitos, valores culturais, preferência por estilos musicais e/ou ideologias políticas semelhantes. Algumas tribos contrapõem-se à ordem social vigente, enquanto outras se caracterizam por serem regidas apenas por interesses comuns.Em todas as épocas tivemos tribos mas acho engraçado quase ninguem falar em "tribo rurral".

Mainstream

A tradução literal para o português do termo inglês mainstream é corrente principal. De uso frequente no Brasil, a palavra é empregada para fazer menção ao pensamento e gosto comuns da maioria da população, especialmente no que se refere a produtos e serviços colocados no mercado pela chamada indústria cultural.Nem sempre o Mainstream significa qualidade ou beleza...


Pop art

Movimento artístico surgido nos anos de 1960, na Inglaterra, cujos principais expoentes recusavam a separação arte/vida, característica da chamada arte moderna. Os principais artístas e críticos entusiastas da pop art defendiam a utilização de elementos da indústria cultural e da cultura de massa como fonte de inspiração, motivação e/ou matéria prima para a construção de obra de arte.

Expressionismo

Escola de arte que marcou época entre o final do século e XIX e começo do século XX, cuja característica principal reside na interpretação subjetiva que cada artista faz da realidade. Tem semelhanças como o Realismo, mas, diferentemente desse, não idealiza a realidade, mas a apreende a partir do ponto de vista do sujeito. Nos anos de 1980, em várias partes do mundo, as artes plásticas expressam a releitura desse movimento, daí o nome neoexpressionimo.

New wave

Termo usado para descrever uma grande variedade de desenvolvimentos musicais, mais comumente associado ao movimento da música popular dos EUA, Reino Unido, Canadá e Austrália no final dos anos 1970 e início dos anos 1980, que se iniciou com a cena Punk Rock de New York.
O estilo é misturado com outros gêneros, sendo o Synthpop um dos princípais, além de contar com o Pop, Punk Rock, Funk, Disco Music, Mod, Reggae, Ska e Glam Rock.

12 de jul de 2011

tragedia rebeldia e genialidade







(22-12- 1960, Brooklyn, Nova Iorque - 12 -08- de 1988, Nova Iorque)

Afro-descendente, filho de pais Portorriquenhos e Caribenhos, Jean-Michel Basquiat largou a vida confortável de classe média alta, para viver nas ruas de Nova York, desafiar o racismo dos brancos norte-americanos (e não só dos brancos) e se tornar um dos mais importantes artistas plásticos do século XX

O grafite foi um ínicio e da arte de rua, saltou para as galerias e, destas, chegou aos museus. Considerada por alguns como vanguardista, essa forma de manifestação é tão antiga quanto a idade da pedra. As pinturas rupestres feitas nas cavernas pelos homens primitivos nada mais são do que exemplos de grafites, que simbolizam o modo de vida da época.

Por utilizar o espaço urbano como suporte, o grafite é muitas vezes confundido com pichação, embora seja diferente desta. A pichação tem como base a escrita, dá destaque à letra, à palavra. Já o grafite busca referências nas artes plásticas. Trabalha com a forma, o volume, a perspectiva, a cor, entre outros recursos. Se bem que existe uma ala de pessoas que não reconhecem diferenças entre as 2 coisas...

A prática de grafitar muros e paredes com inscrições de teor poético ou político ganhou impulso em maio de 1968, na cidade de Paris, a partir de onde explodiram no Ocidente os movimentos de contracultura. Inconformados com os rumos do capitalismo, jovens de vários cantos do planeta, munidos de tinta spray, foram às ruas expressar sua insatisfação.

De lá para cá, grafites de vários tipos e estilos eclodiram nas vias públicas como voz eloquente contra os privilégios das minorias elitistas, dominantes nos mais diversos setores da sociedade. Associados a diferentes movimentos e tribos urbanas, como o hip-hop, o grafite por muito tempo foi interpretado como transgressão, até se transformar em fenômeno compreendido e incorporado pelo mainstream.

Assim também ocorreu por aqui. Tanto é que, nas principais cidades brasileiras, o grafite faz parte da paisagem e já foi exposto em muitos museus. Nos grandes centros urbanos do país, convive-se com pinturas de artistas de renome internacional.
Os Gemeos,Kajaman,Erko 1 da bf, Nunca, Nina, Finok e Zefix são alguns dos mais famosos, com trabalhos em vários lugares do mundo. Mas se o grafite despontou em meio à cultura marginalizada e atingiu o status de arte, deve isso em grande parte à figura de Jean-Michel Basquiat.

Um dos pioneiros da chamada street art e, certamente, o mais célebre grafiteiro de todos os tempos, Basquiat tornou-se lenda ao passar feito meteoro pelo cenário artístico de Nova York e revolucionar o modo de ver a pintura nos Estados Unidos da América.
Apadrinhado por Andy Warhol, pai da pop art, com quem compartilhou amizade e até mesmo a produção de vários trabalhos, Basquiat começou a pintar telas, e, de mero pichador, passou a ser considerado representante privilegiado de uma escola chamada neoexpressionista.

A partir de então, os trabalhos do artista receberam, por parte da crítica especializada, o rótulo de “primitivismo intelectualizado” e, em apenas três anos, de 1982 a 1985, conquistaram marchands, compradores e ganharam espaço em importantes galerias e museus dos Estados Unidos, Canadá, Holanda, Alemanha e Japão.

Tragédia, rebeldia e genialidade

Tanto a vida quanto a obra de Jean-Michel Basquiat foram marcadas por polêmicas, tragédias, atos de rebeldia e de genialidade. Ainda na infância, desenhava caricaturas e reproduzia desenhos animados dos programas de televisão. O passatempo favorito desse afro-descendente crescido no Brooklyn era freqüentar o MOMA – Museu de Arte Moderna, em Manhattan.

De origem caribenha, Jean-Michel nasceu em família de classe média alta. Era o mais velho dos três filhos de Gerard Jean-Baptiste Basquiat, ex-ministro do interior do Haiti que emigrou para os Estados Unidos, onde se tornou proprietário de grande escritório de contabilidade. A mãe, Mathilde Andrada, tinha origem portorriquenha.

Aos sete anos de idade, Basquiat sofreu um acidente que, por obra do acaso, o aproximou ainda mais da arte. Foi atropelado e submetido a uma operação no baço. Para distraí-lo durante o tempo em que ficou hospitalizado, a mãe deu a ele o clássico livro de anatomia Gray´s Anatomy ( E HOJE ESTE NOME É SINONIMO DE ENLATADO ESTADUNIDENSE).
A obra não só o influenciou nas futuras pinturas que faria de corpos humanos, como na escolha do nome da banda que criaria em 1979: Gray´s, cujo repertório era baseado nos ritmos latinos de Porto Rico e do Caribe.(O MESMO ACONTECEU COM O PRIMÓRDIO DO HIP HOP)

Apesar de ter nascido e crescido em Nova York, a cultura latina estava muito presente na formação de Basquiat, especialmente por ter vivido em Porto Rico entre os 15 e 17 anos de idade, após o divórcio dos pais.
Em 1976, de volta à cidade natal, tentou, mas não conseguiu se adaptar aos estudos formais. Abandonou a escola, saiu de casa para morar com amigos, e passou a pintar camisetas, que vendia nas ruas.

Foi nessa época que, junto com o artista gráfico Al Diaz, começou a espalhar grafites nas paredes, portas, nos muros e metrôs da cidade, todos assinados com a marca SAMO, abreviatura de “same old shit” (mesma velha merda).
A essas alturas, Basquiat já havia assumido sua condição de excluído, em uma sociedade até então extremamente racista, e passado a viver nas ruas.

Embora não dominasse técnicas do desenho clássico, o grafiteiro criou um estilo figurativo próprio. Suas pinturas, presentes em lugares inusitados, logo causaram forte impacto, especialmente pela rudeza e nervosismo dos gestos.
O efeito de estranhamento, vigoroso e ao mesmo tempo intrigante, que emerge dos traços do artista logo chamou a atenção da imprensa.
Sua carreira estava começando. Basquiat passou a aparecer em um programa de TV a cabo e foi convidado a participar do filme Downtown 81, que relata o modo como ele buscava a sobrevivência, inserido em um contexto cultural que misturava hip-hop, new wave e o próprio grafite.

A fama trouxe dinheiro, convívio com pessoas famosas e o namoro com uma até então desconhecida cantora de nome Madonna.
Foi quando conheceu Andy Warhol, que ofereceu a ele espaço e material de trabalho, além de ajudá-lo a divulgar sua arte. Com isso, a vida de artista marginal estava definitivamente encerrada.
Nas últimas intervenções nas paredes da cidade, Basquiat decretou: “SAMO is dead” (Samo morreu). O ex-grafiteiro tinha virado celebridade.

Sentimento de exclusão

Segundo Miguel Westerberg, artista plástico português radicado em São Paulo, Jean-Michel Basquiat “foi o último dos grandes artistas plástico da América do norte”. Junto com Warhol, ele deu “ forma a uma nova linha de pensamento dentro da arte, quebrando de uma vez por todas com todos os tabus impostos até então pelos júris de salão”.

A arte de Basquiat, feita de rabiscos, escritas enigmáticas, pinceladas rápidas e nervosas, retrata personagens esqueléticos, rostos apavorados ou mascarados, prédios, carros, cenas da vida urbana, ícones negros do boxe e da música, sempre em telas grandes e cores muito fortes.
O homem negro, em meio a composições caóticas, é uma constante em seus trabalhos, talvez como forma de expressar o sentimento de exclusão, que, ao que tudo indica, carregava na alma.

Mesmo no auge da fama, Basquiat apresentava comportamento excêntrico e praticava excessos de vários tipos, em resposta ao que entendia como racismo exacerbado da sociedade norte-americana.
A partir da morte do amigo e protetor Andy Warhol, em 1987, tornou-se depressivo, fato que se refletiu em suas pinturas. A crítica especializada deixou de ser unanime com relação à qualidade da obra do artista.

Solitário e melancólico, Basquiat começou a abusar do consumo de drogas. Em agosto de 1988, morreu por overdose de heroína, antes de completar 28 anos de idade. A partir de então, obras do acervo do artista estiveram presentes nas mais importantes mostras de arte do mundo.

No Brasil, Basquiat foi homenageado com uma sala especial na 23ª Bienal de São Paulo, em 1996, e com uma retrospectiva na Pinacoteca do Estado de São Paulo, em 1998. (O JOSAFÁ DEVE TER IDO )
Para quem quiser conhecer mais sobre a vida do artista, encontra-se disponível em locadora e lojas especializadas o filme Basquiat, dirigido por Julian Schnabel, com Jeffrey Wright, como Basquiat, e David Bowie, como Andy Warhol.(BELO )